Os bancos concederam menos créditos em Agosto, cortando o financiamento para empresas, habitação e consumo.

De acordo com os dados hoje divulgados no Boletim Estatístico do Banco de Portugal, as instituições concederam menos 1,2 mil milhões de euros face a Julho.

A maior fatia dos montantes emprestados pela banca vai para as empresas, principalmente empréstimos superiores a um milhão de euros. No total, a banca concedeu créditos no valor de 5,4 mil milhões de euros em Agosto, com 3,9 mil milhões a serem direccionados para as empresas.

Há vários meses que a banca enfrenta dificuldades de financiamento no mercado interbancário. Além disso, o crédito malparado voltou a aumentar em Agosto, o que leva os bancos a conceder menos crédito e com taxas superiores, de forma a diminuir o risco a que estão expostos.

Juros no crédito à habitação em máximos de 17 meses

A taxa de juro efectiva global (TAEG) média, a taxa que engloba todos os custos com os empréstimos, aumentou de 3,44% em Julho para 3,64% em Agosto, para fins de crédito à habitação.

Uma subida expressiva, de 20 pontos percentuais, que se deve principalmente ao aumento de ‘spreads’ por parte da banca. Desde o início do ano, a subida soma já 92 pontos percentuais.

Remuneração dos depósitos inalterada

Em contrapartida, a taxa de juro oferecida nos novos depósitos ficou inalterada em Agosto face ao mês anterior, nos 1,84%. Apenas os depósitos com maturidade até um ano registaram um ligeiro aumento dos juros oferecidos, de 1,75 para 1,81%.

As dificuldades de financiamento da banca nos mercados internacionais tem levado ao aumento dos juros dos depósitos desde o início ano, com os bancos a voltarem a valorizar a captação de recursos de clientes. Desde Dezembro de 2009, a taxa de juro média dos depósitos até um ano aumentou quase 30 pontos percentuais.

Fonte: Económico

Comentários

comentarios

2016-12-01T15:39:14+00:00 20/10/2010|Categorias: Estatística|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)