É comum as empresas start up recorrerem a Capital de Risco para terem financiamento para a própria criação, branding ou até expansão do negócio entre outras. É um modelo de financiamento que obedece a certos critérios por parte dos investidores sejam particulares ou empresa.

As empresas/particulares de Capital de Risco por vezes consoante o projecto apresentado e potencial do mesmo utilizam a entrada de um sócio minioritário na empresa de modo a colocar o know how da empresa/investidor garantindo o crecimento da empresa start up e possivelmente garantindo mais retorno de capital devido à percentagem que o mesmo detem sobre a empresa ( pode até existir outras contrapartidas sem ser percentagem sobre a empresa).

O QUE O CAPITAL DE RISCO OFERECE ÀS EMPRESAS?

  • Reforço da estrutura financeira da empresa;
  • Facilitação do acesso a outras fontes de financiamento;
  • Sinalização sobre a credibilidade da empresa;
  • Um parceiro empenhado que contribui com aconselhamento e permite o acesso a uma interessante rede de contactos.
  • Possíveis fundos para expansão da empresa

O QUE DEVE FAZER PARA TER A APROVAÇÃO DO FINANCIAMENTO

Para ter a aprovação dos investidores de Capital de Risco tem obrigatóriamente de ter em conta que deve apresentar um plano de negócios bem estruturado com as ideias bem deliniadas . Mostre o porquê de o seu negócio ser competitivo no mercado e o porquê de você ter as condições necessárias para levar o projecto avante com sucesso!

OS PRIMEIROS PASSOS APÓS O PRIMEIRO CONTACTO

  • Apresentação do Plano de Negócio e sua análise;
  • Comunicação de parecer ;
  • Início da negociação e fornecimento de informações adicionais;
  • Verificação de informações e obtenção de pareceres externos;
  • Negociações Finais;
  • Decisão Final e eventual contratação;
  • Gestão da intervenção na actividade da empresa.

COMO PENSA O INVESTIDOR?

Business Angel: um investidor privado que não só financia pequenas empresas mas também lhes dá o benefício das suas qualificações.

Seed capital (Capital semente): quase sempre pequenos montantes de capital fornecido para transformar uma boa ideia num produto ou serviço comercializável. Pode estar ligado ao desenvolvimento do produto mas raramente envolve o marketing inicial. É a forma mais arriscada de capital de risco dado que o conceito, a tecnologia, o empreendedor e o mercado ainda não têm provas dadas. Por esta razão existe uma reduzida oferta deste tipo de capital. Alguns capitalistas de risco argumentam que o capital semente não deveria ser necessário porque a maior parte das pessoas tem a possibilidade de conseguir a mesma quantia utilizando as poupanças ou conseguindo uma hipoteca sobre a sua casa.

PLANO DE NEGÓCIOS PARA CAPITAL DE RISCO

O plano de negócios deve ser  feito pelos gestores do projecto para justificar a sua aproximação aos investidores para um possível financiamento. Este deve conter resumos das demonstrações financeiras passadas e previsionais. Também deve conter detalhes dos produtos ou serviços, mercados, estratégia futura e perfis dos gestores assim como visão a médio e longo prazo. Muitos investidores não querem mais do que um sumário executivo de 2/3  páginas o que dificulta a elaboração pois terá de centrar o essencial da informação no menor número de páginas. Porém naturalmente e dependendo do investidor e do projecto o plano poderá conter mais páginas do que o recomendado, não é um “regra” da maioria dos investidores mas é o “normal” em planos de negócios para apresentação a Capital de Risco.

Fonte: Créditos & Finanças

Comentários

comentarios

2016-12-01T15:39:12+00:0009/11/2010|Categorias: Portugal|1 comentário
error: Segurança, acima de tudo! ;)