Barómetro da PricewaterhouseCoopers mostra que a confiança dos CEO mundiais regressou a níveis anteriores à crise.

A consultora divulgou hoje os resultados do 14º Annual Global CEO Survey, um barómetro realizado no último trimestre de 2010 após o contacto com 1.201 gestores de topo de 69 países. As principais conclusões do estudo são:

– Cerca de metade dos inquiridos (48%) diz estar “muito confiante” no crescimento da economia nos próximos 12 meses. Na ‘poll’ de 2009 só 31% tinha esse entendimento.

– Os gestores da Europa Ocidental são os menos confiantes no futuro da economia, à excepção dos CEO alemães.

– A China (39%) é vista como o país mais importante no que a crescimento económico diz respeito. Seguem-se EUA (21%) e Brasil (19%).

– Os CEO antecipam que as melhores oportunidades de crescimento dos próximos 12 meses vão surgir do desenvolvimento de novos produtos e serviços (29%), do aumento das participações nos mercados (29%) e da entrada em novos mercados (17%).

– Mais de metade dos gestores tem planos para reforçar os quadros das empresas que dirigem. Na ‘poll’ anterior só 39% admitia recrutar pessoal.

– Quase 90% dos inquiridos diz que foi obrigado a alterar a estratégia da empresa por causa da crise financeira.

– A maioria dos gestores (64%) planeiam reduzir os custos nos próximos 12 meses e cerca de metade espera concretizar uma aliança estratégia ou uma joint-venture.

– 75% dos CEO vê a incerteza e a volatilidade do crescimento da economia como a principal ameaça ao seu negócio. Outra das respostas mais comuns foi a capacidade dos governos em equilibrar as contas públicas.

– Para metade dos gestores consultados a prioridade dos governos deve ser impulsionar as infra-estruturas do país e promover a criação de uma força de trabalho qualificada. 53% antecipa um aumento de impostos por causa da dívida pública.

Fonte: Económico

Comentários

comentarios

2011-02-02T02:10:21+00:0002/02/2011|Categorias: Internacional|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)