A Prébuild assina hoje em Bogotá um contrato de 250 milhões de dólares (191 milhões de euros) com a Terranum, participada do Grupo Santo Domingo, um dos tenores económicos da Colômbia e que em Portugal já controlou a Centralcer, dona da Sagres. Juntos vão construir um parque industrial de 29 hectares – o equivalente  a 29 campos de futebol – a pouco mais de meia hora de carro da capital, onde a empresa de João Gama Leão instalará, logo que a obra esteja finalizada, 11 fábricas de indústrias transformadoras  relacionadas com a construção civil (cerâmica, madeira, alumínios, cozinhas, metalomecânica etc.), que depois vão alimentar as obras do grupo português na Colômbia e noutros países da América Latina, mas também competirá no mercado local. Cavaco Silva e o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, vão assistir à oficialização da parceria.

Para a Prébuild, o caminho tem sido feito em alta velocidade. Além de construir todo o tipo de infraestruturas, como hospitais, escolas, habitação e escritórios, Gama Leão (dono e presidente, de apenas 38 anos) tem aproveitado a crise para comprar empresas industriais que trabalham no universo da construção. “É simples: assim consigo preços mais baixos para fornecer as nossas obras e produtos com mais qualidade. É isso que nos tem feito ganhar obras aqui, em Angola ou na Argélia”, diz Gama Leão, recordando a construção do Hotel W, também ganho recentemente em Bogotá, como um sinal de que a estratégia funciona. “Controlamos o ciclo produtivo desde a base, reduzimos a incerteza habitual nos fornecimentos e ainda servimos melhor a nós e aos clientes, quando a obra não é nossa.”

A Prébuild não vai levantar o edifício do W – uma das marcas mais conhecidas do grupo Starwood –, mas ganhou a empreitada de todo o recheio e é aí que tentará colocar os produtos (cerâmicas, portas, caixilharia, cozinhas, estantes, tetos) que fazem parte do seu portefólio industrial. Como o parque industrial de Bogotá ainda não está a funcionar – a abertura está prevista para agosto de 2014, embora Gama Leão diga que em abril a obra estará concluída – a maioria destes materiais será, para já, importada das empresas que a Prébuild tem em Portugal. Os materiais de construção saem das fábricas espalhadas pelo país, como Aveiro e Beloura, são enviados para o polo de exportação de Braga e daí viajam do porto de Lisboa ou de Leixões até Cartagena, na Colômbia. Depois de atravessarem o Atlântico, os contentores fazem de camião o trajeto de mais de 30 horas até à capital colombiana.

Gama Leão está a investir agressivamente na Colômbia e está também de olho no pacote de obras públicas, designadamente nas autoestradas que o governo colombiano tem previsto lançar, além da habitação social, área em que já ganhou uma obra. Na terça-feira foi lançado pelo presidente Juan Manuel Santos um programa de 300 milhões de euros para melhorar as vias secundárias do país, mas a expectativa é que surja um segundo mais ambicioso e que envolva autoestradas.

A Prébuild chegou a  Bogotá há apenas 11 meses. Aterrou e contratou logo dois quadros de topo da Jerónimo Martins que estavam no país a estudar o mercado para instalar os supermercados Ara. Com este raide encurtou o tempo de análise e estudos e conseguiu tomar decisões muito depressa. Pelo caminho, aproveitou a fragilidade dos concorrentes em Portugal para ir buscar engenheiros experimentados à Somague – um deles é Luís Ferreira, responsável pela Torre Vasco da Gama, em Lisboa. E hoje fecha este acordo com o Grupo Santo Domingo, um dos titãs económicos da Colômbia, o que lhe dará mais solidez e alcance negocial. Este grupo colombiano, que está nas cervejas, imobiliário, turismo, banca, telecomunicações, seguros e comunicação social, é um dos acionistas da Terranum (o outro é a Estratégias Corporativas), que partilhará a aposta no parque industrial que será o coração operacional da Prébuild na Colômbia, mas com um olho nos países vizinhos. “É simples: é para crescer e crescer rápido”, diz Gama Leão.

*Em Bogotá, Colômbia

Fonte: Dinheiro Vivo

Comentários

comentarios

2016-12-01T15:38:25+00:0016/04/2013|Categorias: Internacional|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)