O crédito malparado atingiu em Julho o maior volume de sempre em Portugal, atingindo 9,6 mil milhões de euros, segundo dados do Banco de Portugal.

Aquele montante resulta da créditos de cobrança duvidosa de 4091 milhões de euros relativos a empréstimos a particulares e de 5494 milhões relativos a empréstimos a empresas, segundo o Diário de Notícias de hoje.
Aqueles valores representam respectivamente 2,91 por cento do crédito concedido a particulares naquele mês, quando em Junho os 3462 milhões em dívida representavam 2.70 por cento. Nas empresas, a subida foi mais significativa, de 3,66 para 4,66 por cento do montante em dívida.
Por outro lado, os depósitos das famílias portuguesas na banca nacional em Julho aumentaram 22,7 por cento face a Junho, o que representou mais 17,49 mil milhões de euros face a Junho, segundo o Jornal de Negócios de hoje, também com base em dados do Banco de Portugal. Trata-se do maior aumento mensal desde Agosto de 2006.
E em Agosto, ainda segundo o Negócios, a evolução do crédito que a banca nacional obtém junto do BCE travou bruscamente. Após grandes aumentos desde Abril, no mês passado o montante em dívida pela banca nacional ao BCE subiu apenas 291 milhões de euros, para 49.124 milhões. De Junho para Julho tinha subido de 40.194 milhões para 48.833 milhões de euros.

Fonte: Público

Comentários

comentarios

2010-09-07T12:29:45+00:00 07/09/2010|Categorias: Estatística|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)