IAPMEI detém 11% da têxtil, que está parada e foi agora decretada insolvente.

A lista de empresas falidas após a injecção de dinheiros estatais fez uma nova aquisição. A Fitlene – Têxteis Artificiais, onde o IAPMEI detém uma participação de 11% do capital, após ter injectado um milhão de euros há um ano e meio, está paralisada desde o início do ano e foi agora decretada insolvente.

A empresa, sediada em Famalicão, culpa o seu accionista estatal por este desfecho, alegando que um novo apoio de cinco milhões de euros, aprovado em Março do ano passado, nunca chegou a ser desbloqueado.

“Da mesma maneira como hoje está a perguntar por que pusemos lá dinheiro [um milhão], se tivéssemos lá colocado o dinheiro que a empresa entretanto pediu [cinco milhões] iria querer saber como lá pusemos tanto dinheiro”, começou por responder ao Negócios Margarida Perdigão, administradora do IAPMEI.

Em causa está o projecto apresentado pela Fitlene ao Fundo Imobiliário Especial de Apoio às Empresas (FIEAE), através do qual a empresa receberia cinco milhões de euros por troca do edifício fabril em que se encontra instalada.

Fonte: Negócios

Comentários

comentarios

2011-02-20T23:24:15+00:0020/02/2011|Categorias: Portugal|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)