A Mactrading, ex Maconde, pode fechar portas definitivamente caso a administração da empresa não pague os salários em atraso, até amanhã, às cerca de 70 pessoas que ainda trabalham na unidade de Vila do Conde.

Os trabalhadores estão com salários em atraso desde Setembro e ainda não receberam 50% do subsídio de férias, e se a empresa não pagar os ordenados em dívida, a maioria das operárias já anunciou que “suspende o contrato de trabalho por justa causa, a partir de quinta-feira”, lembrou à Lusa uma das operárias.

Até esta terça-feira, os salários em atraso ainda não tinham sido pagos, confirmou Sandra Roque, que alega que a situação “é desumana e as trabalhadoras não aguentam mais”.

No início deste ano, a Mactrading tinha 187 pessoas a trabalhar, mas cerca de 30 acabaram por rescindir contrato de trabalho por justa causa.

Em Maio, mais 80 operários receberam cartas de despedimento da administração e abandonaram a empresa e a unidade ficou reduzida a cerca de 70 pessoas.

Agora a situação repete-se e até há funcionários da empresa, sobretudo os que trabalham nos escritórios, que para “além dos salários em atraso, ainda não receberam os subsídios de natal em 2009 e de férias. Esses estão ainda pior que nós”, voltou a referir a operária.

Sandra Roque explicou que a administração já disse às trabalhadoras que “pagaria um salário e meio em atraso”, mas a proposta foi recusada, “porque dentro de poucos dias, voltamos a estar na mesma situação e não aguentamos mais”.

A Maconde, depois convertida em Macvila e Mactrading, era uma empresa de referência na área do têxtil em Portugal.

Há mais de dois anos, perante dificuldades financeiras, pediu um apoio ao IAPMEI para recuperar da crise, tendo-lhe sido concedida uma verba de mais de 6,5 milhões de euros.

Na altura, a têxtil comprometeu-se a manter os cerca de 500 postos de trabalho, mas, no início deste ano, na Macvila e Mactrading laboravam apenas um total de 394 pessoas.

No dia 8 de Janeiro, a Macvila entrou em processo de insolvência e, em Março, acabou por dispensar os trabalhadores e fechou portas, ficando apenas a parceira Mactrading a laborar.

Agora, e caso a empresa não pague os salários em atraso, também esta unidade pode fechar portas, definitivamente, porque fica sem trabalhadores na área da produção.

Fonte: Oje

Comentários

comentarios

2010-11-09T19:28:08+00:00 09/11/2010|Categorias: Portugal|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)