Postos de gasolina dos super e hipermercados ganham mercado e aumentam diferença de preços face às bombas tradicionais.

Entre o início de 2008 e o final do primeiro semestre deste ano a Galp Energia perdeu cerca de 10% de quota de mercado nos combustíveis. As contas são da Autoridade da Concorrência (AdC) que aponta para o crescimento da posição das cadeias de grande distribuição e dos operadores independentes, numa altura em que o consumo de combustíveis em Portugal caiu 0,4%.

“Verifica-se que, desde 2008, a empresa Galp Energia tem vindo a perder peso relativo em termos de volume de vendas, por contraposição a um aumento do peso relativo das cadeias de hiper/supermercados e dos independentes”, lê-se na ‘newsletter’ trimestral de acompanhamento do mercado dos combustíveis.

Também a BP, o segundo maior operador no mercado de distribuição, começou este período com um aumento da sua posição – que se situava entre os 10 e os 15% -, mas a mesma estagnou a partir de 2009. A espanhola Repsol, por seu lado, manteve a sua quota de mercado constante nos 15%-20%.

De acordo com o mesmo documento, as grandes superfícies – marcas como o Jumbo, Modelo Continente ou Intermarché – viram a sua posição aumentar de 12% em 2008 para 18% no final de Junho passado. Uma posição que poderia ser ainda superior não fosse o facto, ressalva o regulador, de ter ocorrido a “cedência da exploração de postos da Modelo Continente a revendedores da Galp Energia”.

Fonte: Económico

Comentários

comentarios

2010-10-13T00:26:29+00:0013/10/2010|Categorias: Portugal|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)