Relatório da UTAO revela que, em 2010, os hospitais invertem a tendência de melhoria.

Os hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) voltaram a alargar os prazos médios de pagamento a fornecedores no arranque do ano de 2010. A tendência é revelada numa análise da Unidade Técnica de Apoio Orçamental às contas da Saúde a que o Diário Económico teve acesso.

Desde 2008, tanto os hospitais do Sector Público Administrativo (SPA) como os hospitais empresa (EPE) vinham-se aproximando do objectivo definido pelo Governo nas Grandes Opções do Plano para 2010-2013: 30 dias como prazo médio de pagamento. Mas a crise deitou por terra todo este esforço e, em 2010, a tendência voltou a inverter-se e os prazos têm vindo a aumentar desde então. No final de 2009, os dois modelos de gestão hospitalar registavam os melhores prazos dos últimos anos, com 152 dias no caso dos SPA e 111 nos EPE. No segundo trimestre deste ano, a média ia já nos 201 dias para os SPA e 163 para os EPE – o equivalente a quase sete meses e cinco meses respectivamente. Recorde-se que a associação que representa a indústria farmacêutica (Apifarma) reclama uma dívida que ultrapassa os mil milhões de euros.

Fonte: Económico

Comentários

comentarios

2010-12-22T01:22:07+00:0022/12/2010|Categorias: Portugal|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)