As importações portuguesas de electricidade cresceram dez vezes entre 2000 e 2008, de 80 mil para 811 mil toneladas equivalentes de petróleo, indicam dados compilados pelo site Pordata que amanhã lança o serviço estatístico para a Europa.

Os dados da Pordata indicam que as importações líquidas de energia de Portugal em 1990 era de 3 mil toneladas equivalentes de petróleo em electricidade. A tonelada equivalente de petróleo (tep) é uma unidade de energia definida como o calor libertado na combustão de uma tonelada de petróleo cru, aproximadamente 42 gigajoules.

A tep é usada para expressão grandes quantidades de energia, uma vez que pode ser mais intuitivo visualizar a energia libertada em toneladas de petróleo que milhares de milhões de joules’.

As importações de electricidade mantiveram uma tendência crescente de 1990 até 1997, quando o país já importava 249 mil tep. O ano de 1998 é o único da série 1990-2008 que apresenta valores negativos (-74 mil tep). Ou seja, neste ano Portugal exportou electricidade em vez de importar.

A partir de 2002 as importações de electricidade iniciaram outra vez uma tendência crescente, de 163 mil tep para 587 mil em 2005, 644 mil em 2007 e finalmente 811 mil toneladas equivalentes de petróleo em 2008, o último ano do qual a Pordata dispõe de dados.

Em sentido contrário, nos mesmos anos, caminhou a Espanha, que em 2003 importava 109 mil tep e nos anos seguintes exportou sempre: 260 mil em 2004, 494 mil em 2007 e 949 mil em 2008.

O que mantém uma tendência decrescente nas importações desde 2000 é o petróleo e os produtos derivados. Em 1999, Portugal importava 16,7 milhões de toneladas equivalentes de petróleo, número que tem vindo a baixar até aos 14 milhões em 2008.

Já a importação de gás natural mais do que duplicou entre 1999 (quando o país comprou 1,9 milhões de tep) e 2008 (para 4,1 milhões de tep). Um caminho seguido também pela Espanha, que passou de 13,1 milhões de tep de gás importados em 1999 para 35,2 milhões em 2008.

No total, em 2008 Portugal importou 21,2 milhões de toneladas equivalentes de petróleo em gás, combustíveis sólidos, electricidade, petróleo e produtos derivados, sensivelmente o mesmo que importava em 2000. Nesse intervalo as importações de energia tiveram um pico em 2005, quando o país importou 24,4 milhões de tep.

A Pordata é uma iniciativa da Fundação Francisco Manuel dos Santos que vai lançar amanhã em Lisboa uma base de dados estatísticos da Europa, uma cerimónia que contará com a presença do presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso.

A base de dados, que funciona desde Fevereiro, vai agora alargar-se à Eurodata, um trabalho que está a ser liderado por Maria João Valente Rosa, e que vai agrupar dados estatísticos de todos os países da União Europeia, mais três países do espaço Schengen e ainda os EUA e o Japão.

Fonte: Oje

Comentários

comentarios

2010-11-02T17:42:34+00:00 02/11/2010|Categorias: Estatística|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)