A cerveja artesanal, criada por dois engenheiros, foi eleita a Best Barley Wine da Europa nos World Beer Awards 2014. Ela é ruiva, ao estilo inglês, com elevado teor alcoólico. Mas é portuguesa.

Primeiro o vinho, depois a cerveja. Portugal não para de somar sucessos e prémios internacionais. A Maldita – bem-dita seja — foi eleita a melhor Barley Wine do continente europeu (o que em português quer dizer qualquer coisa como “vinho de cevada”) nos World Beer Awards 2014. Trata-se de uma bebida artesanal produzida na cidade de Aveiro, criada em 2013 por Artur e Gonçalo Faustino, pai e filho.

Os dois engenheiros de profissão estão à frente da Faustino Microcervejeira, responsável pela produção da ruiva English Barleywine que encantou os júris da competição pelo aroma, “carácter” e “equilíbrio”. Trata-se de um estilo de cervejas escuras de influência inglesa, cujo grau alcoólico é mais elevado do que o normal, explica João Sousa, gestor da marca, ao Observador.

O Barleywine Inglês

[é] um dos porta-estandartes da Marca Maldita. Este caracteriza-se pelos aromas frutados e intensos que persistem, acompanhados por leves notas a caramelo. No copo apresenta uma cor acobreada e espuma de cor branca. Com textura aveludada, tem um amargor característico que contrasta com um sabor a caramelo que a torna numa bebida completamente distinta e única. Tem um teor alcoólico elevado, 9% vol., e deve ser bebida a cerca de 10ºC e num copo Snifter ou idêntico”, lê-se no site oficial da marca.

screenshot_11

Gonçalo Faustino é “o” alfaiate da cerveja, como João Sousa gosta de lhe chamar. Ao jovem cabe o papel de inventar todas as receitas que lhe passam pelas mãos, sendo que na produção das bebidas apenas são utilizados ingredientes naturais: cevada, lúpulos, leveduras e água. Nada mais, nada menos. A bebida não é filtrada, pelo que pode conter depósito, e a fermentação é feita na garrafa, o que dá origem à espuma e ao gás existentes.

O que começou como uma aventura familiar em 2007 foi ganhando protagonismo ao longo do tempo. Atualmente são produzidos 4 mil litros de bebida por mês, mas a ambição de pai e filho é maior: até meados do próximo ano querem que o número ascenda aos 6 mil. A Maldita e as suas três variedades (loira, Bohemian Pilsener, ruiva, Barleywine Inglês, e preta, Robust Porter) é vendida um pouco por todo o país, desde mercearias, lojas gourmet e supermercados.

O evento que premiou a cerveja aveirense, World Beer Awards, é anual e o processo de avaliação é composto por quatro etapas, sendo que as provas são todas cegas. Pode consultar os restantes vencedores, regionais e globais, aqui.

Fonte: Observador

Partilhe esta notícia!

Comentários

comentarios

2016-12-01T15:37:56+00:0013/02/2015|Categorias: Portugal|Tags: , , , |0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)