Portugal está a agravar a dívida pública espanhola por causa da situação das contas do Estado, que, por efeito de contágio, colocam pressão sobre a dívida soberana de Espanha, escreve hoje o diário espanhol El País.

“As dúvidas sobre Portugal e as especulações de que [o país] vai acabar por ter de recorrer ao apoio dos seus parceiros do euro para solucionar os problemas de financiamento [da economia portuguesa] está a aumentar a pressão sobre a sua dívida, estendendo-se a Espanha”, lê-se na manchete da edição online do jornal espanhol.

Por esta razão, “os prémios de risco de ambos os países, devido aos respectivos défices excessivos, conduziram às subidas [dos juros da dívida soberana portuguesa ] de quinta-feira (…) numa altura em que Portugal é apontado como a próxima vítima da crise após a queda da Grécia, em Maio, e da Irlanda, em Novembro”.

O El País escreve ainda que a actual situação económica em Portugal está a provocar o aumento dos credit-default swaps (CDS), os seguros que os investidores fazem contra o eventual incumprimento financeiro de Portugal.

De acordo com a agência financeira Bloomberg, citada pelo diário espanhol, perante a persistência da crise, o Banco Central Europeu (BCE) reactivou o seu programa de compra de dívida, adquirindo títulos de Portugal, em particular, a curto prazo.

Os juros da dívida soberana portuguesa a dez anos estão hoje a bater máximos históricos, negociando acima dos 7,1%, o maior valor registado desde a adesão de Portugal à Zona Euro.

A 10 de Novembro de 2010, os juros da dívida soberana de longo-prazo tinham ultrapassado a barreira dos 7%, fixando-se nos 7,036% na média do dia, até então o máximo histórico registado desde a entrada de Portugal para a Zona Euro.

Fonte: Oje

Comentários

comentarios

2011-01-07T19:21:54+00:00 07/01/2011|Categorias: Internacional|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)