Acompanhando o movimento de subida da Irlanda de 5º para 4º lugar no TOP 10 mundial do risco de default (incumprimento da dívida soberana), Portugal subiu um lugar, estando, agora, muito próximo dos máximos alcançados durante a crise do euro de abril e maio. Os juros da dívida pública mantêm-se acima de 6,5%

Portugal subiu, durante a sessão da tarde, da sétima para a sexta posição no TOP 10 mundial do risco de default(incumprimento de dívida soberana), segundo o ranking da CMA DataVision abrangendo mais de 60 países. A probabilidade de incumprimento é, agora, de 32,61%, muito próxima do máximo atingido a 6 de maio (32,63%), quando o país se encontrava em 6º lugar nesse “clube”.Os juros da dívida pública a 10 anos depois de terem aberto num nível de 6,64% baixaram para os 6,52%, continuando acima do fecho de ontem e fixando novo máximo desde a entrada no euro em 1999. O spread em relação aos juros das Bunds alemãs está, agora, em 4,27%.A Irlanda subiu para o 4 º lugar com uma probabilidade de default na ordem dos 35% e com as yields (taxas de remuneração) dos títulos a 10 anos em 6,73%, acima dos 6,57% no fecho de ontem, e acima das portuguesas.

A deterioração das condições de crédito dos dois países continua, assim, a agravar-se, por razões domésticas distintas (situação muito grave da banca irlandesa e pré-crise política em Portugal ligada à preparação do Orçamento de Estado de 2011), mas cuja convergência está a permitir um novo ataque especulativo contra a dívida soberana quer dos países mais frágeis da zona euro como dos membros da União Europeia intervencionados pelo Fundo Monetário Internacional. As probabilidades de default da Roménia (em 10º lugar no TOP 10), Hungria, Letónia, Espanha e Itália estão, também, a subir hoje. A Grécia mantém o 2º lugar do TOP 10 mundial do risco de default.

O Ranking Mundial

O ranking das probabilidades de incumprimento num horizonte de cinco anos elaborado pela CMA DataVision, atualizado cinco vezes ao dia, abrange 80 países, alguns estados americanos e bancos centrais em alguns casos que vêm as suas condições de crédito avaliadas a partir do movimento de 1200 emissores de credit default saps (derivados financeiros que funcionam como seguros contra o risco de incumprimento das dívidas soberanas) de todo o mundo.

No TOP 10 mundial de maior risco de hoje estão: Venezuela com 54,40% de probabilidade de default; Grécia com 50,62%; Argentina com 40,5%; Irlanda com 35,13%; Paquistão com 34,64%; Portugal com 32,61%; Ucrânia com 32,37%; Iraque com 27,96%; Dubai com 26,33% e, finalmente, Roménia com 22,34%.

Nesse ranking, os países com menor risco, abaixo de 5%, são: Noruega, Finlândia, Suécia, Dinamarca, Alemanha, Suíça, Austrália, Holanda, Hong Kong e EUA.

Fonte: Expresso

Comentários

comentarios

2015-06-12T23:42:10+00:00 28/09/2010|Categorias: Estatística|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)