Vendas portuguesas representam 43,3% do total importado pelo país africano.

Portugal manteve-se como maior fornecedor de Cabo Verde e segundo destino das exportações cabo-verdianas no primeiro trimestre de 2015 em relação a idêntico período de 2014, informou esta sexta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE) de Cabo Verde.

Segundo o INE, Portugal lidera entre os fornecedores de Cabo Verde, com 43,3% do total, seguido dos Países Baixos (13,7%), China (8,3%) e Espanha (8,2%). Nas exportações de Cabo Verde, Portugal, com 20,1%, fica atrás da Espanha (70,8%).

Os dados provisórios apurados pelo INE, no inquérito ao comércio externo, indicam que, no período, o défice da balança comercial aumentou 17,8% e a taxa de cobertura deteriorou-se em 3,9 pontos percentuais.

De acordo com os resultados, a Europa continua a ser o principal cliente de Cabo Verde, absorvendo cerca de 92,2% do total das exportações cabo-verdianas.

Entre os produtos exportados de Cabo Verde no primeiro trimestre de 2015, os peixes, crustáceos e moluscos ocupam o primeiro lugar, representando 51%, e as conservas de peixes vêm depois, com 29,2% do total, tendo perdido cerca de 16,6 pontos percentuais em relação ao valor registado no mesmo período do ano anterior. Estes dois produtos representaram, no período em análise, 80,1% do total das exportações de Cabo Verde.

Os dados revelaram, por outro lado, um acréscimo nas importações cabo-verdianas, nesse período, de 12,8%, face ao mesmo período do ano anterior. Conforme o INE, o continente europeu continua a ser o principal fornecedor de Cabo Verde, com 78,5% do montante total, contra 82,2% do mesmo período do ano transato. As exportações deste continente para Cabo Verde, aumentaram 7,7%, no período em análise.

Registou-se, também, um aumento no montante das importações provenientes da África (164%) e da Ásia (58,6%) e uma redução das que tiveram como origem a América (-9,6%). Dos fornecedores, China e Marrocos registaram as maiores taxas de variação positiva (144,9% e 160,7% respectivamente), em comparação com o mesmo período do ano transacto.

Os bens de consumo continuam a ser os mais importantes na importação, não obstante uma variação homóloga negativa do seu peso no total das importações, 2,6 pontos percentuais.

Fonte: Público

Comentários

comentarios

2016-12-01T15:37:50+00:0002/05/2015|Categorias: Estatística|Tags: , , , |0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)