Gestora de fundos Schroders admite cenário de desintegração da Zona Euro

A Schroders, uma das maiores gestoras de activos do mundo, acredita que a Zona Euro, como a conhecemos hoje, pode desaparecer nos próximos anos. O economista-chefe da gestora acredita que Portugal, Irlanda e Grécia podem abandonar a moeda única e que, daqui a cinco anos, a Zona Euro poderá ter um mapa bem diferente do actual.

«Daqui a cinco anos, podemos ter uma composição diferente da zona euro. Grécia, Portugal e Irlanda poderão não pertencer ao euro», disse Keith Wade, esta quinta-feira, numa conferência em Londres, citado pela imprensa britânica.

Para o responsável, «a questão não é a Grécia entrar em incumprimento, mas sim Portugal, Espanha e Irlanda. Se a Irlanda pedir ajuda, a seguir será Portugal».

«Com o euro, estes países deixaram de ter vantagens competitivas», afirmou, lembrando que, sem poderem controlar a política monetária e sem poderem desvalorizar as respectivas moedas, os chamados países «periféricos» do euro têm a vida dificultada na hora de corrigir os défices orçamentais, ao mesmo tempo que é necessário estimular o crescimento económico.

Em conclusão, sugere, a tarefa que a Alemanha está a exigir aos países mais frágeis é quase impossível de concretizar.

«Mesmo depois dos pacotes de ajuda, o crescimento destes países não será suficiente. Quando a Grécia regressar ao mercado, por exemplo, deverá pagar taxas de juro próximas de 10%. Com uma dívida de 150% do PIB e um crescimento económico muito baixo, é matematicamente impossível pagar esses 10%», explicou.

Para se evitar este cenário, o economista-chefe da Schroders só vê dois caminhos: ou se mantêm as ajudas a estas economias durante muito mais tempo ou elas terão de sair da Zona Euro para poderem desvalorizar as suas moedas e assim resolverem os seus problemas.

Fonte: Agência Financeira

Comentários

comentarios

2016-12-01T15:39:12+00:0019/11/2010|Categorias: Internacional|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)