As remessas de emigrantes portugueses a viver em Angola voltaram a cair pelo quarto mês consecutivo e atingiram mesmo o valor mais baixo em três anos. As remessas de Angola para Portugal atingiram os 15,3 milhões de euros em Janeiro, 24,5% abaixo do montante enviado no mesmo período do ano anterior.

As remessas de Angola tem-se ressentido da crise económica que atingiu o pais em consequência da forte queda nos preços do petróleo nos mercados internacionais. Recorde-se que já em Fevereiro, e com o objectivo de combater a saída de capitais do pais, o governo angolano decidiu que ira aplicar um imposto especial sobre transferências de dinheiro para fora do país.

Apesar da queda nas transferências vindas de Angola, as remessas totais de emigrantes aumentaram 14,6% face ao período homólogo, para 261,8 milhões de euros. Alemanha e França foram os países responsáveis pela quase totalidade desta subida, com as remessas da Alemanha a crescerem 78%, para 29,3 milhões de euros, enquanto os emigrantes franceses enviaram 79,6 milhões de euros, mais 16,1% do que há um ano.

França continua a ser o pais de onde chega mais dinheiro todos os meses, seguida pela Suíça, onde as remessas também cresceram em Janeiro, 11,9%, para 63,2 milhões de euros. Recorde-se que foi precisamente em Janeiro que o Banco Central da Suíça retirou, sem qualquer aviso ao mercado, o limite que havia fixado para o franco suíço, levando a moeda a valorizar cerca de 20% num único dia.

Janeiro foi também o mês da corrida aos certificados do Tesouro portugueses e, embora algum deste dinheiro possa ter chegado com esse destino, o montante total de remessas, quase 262 milhões de euros, esta longe de justificar a diferençá de cerca de 1,6 mil milhões de euros, entre as saídas de depósitos a prazo nesse mês e o valor subscrito em certificados.

Fonte: Económico

Comentários

comentarios

2015-06-16T21:17:27+00:00 20/03/2015|Categorias: Estatística|Tags: , , , |0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)