A percepção de risco da parte dos investidores em relação a Portugal não pára de piorar.

No dia em que o Parlamento debate a proposta de Orçamento do Estado para 2011, os indicadores de risco da dívida de Portugal agravam-se aos olhos dos mercados.

Sinal disso é que o prémio que os investidores exigem para comprar obrigações do Tesouro portuguesas a 10 anos em vez das bunds alemãs com a mesma maturidade, que são a referência para o mercado, subia 19 pontos até aos 381,4 pontos-base, o valor mais elevado desde 13 de Outubro.

Esta evolução do ‘spread’ está a empurrar o juro das OT para 6,261%, o valor mais elevado desde 7 de Outubro e um nível superior aos 6,1% registados no fecho de ontem.

Um outro indicador de risco, avaliado através do preço dos ‘credit-deafult swaps’ (CDS) sobre obrigações a cinco anos, que é uma espécie de seguro em caso de incumprimento de um Estado ou empresa, também subia 16,5 pontos até aos 406,18 pontos, a subida mais expressiva em todo o mundo. Quer isto dizer que por cada 10 milhões de euros aplicados em dívida portuguesa, o investidor tem de pagar um seguro anual de 406,18 mil euros.

Também o preço dos CDS gregos e irlandeses a cinco anos está a subir, registando a terceira (+12,6) e quarta (+9,6) subidas mais expressivas, respectivamente.

Fonte: Económico

Comentários

comentarios

2010-11-02T17:41:05+00:00 02/11/2010|Categorias: Portugal|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)