Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais admite, mas não diz como resolver

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais admitiu esta quinta-feira que o Governo tem de enfrentar o «problema» da tributação às grandes empresas.

«Nos últimos dois anos, por força da crise que atravessamos, tem-se reforçado preocupações de sempre da fiscalidade. Assim sucede com a tributação de pessoas singulares, assim como com o alargamento da base do IRC e com o problema dominante da tributação das grandes empresas, que é um problema que temos de enfrentar mais seriamente nos tempos que vivemos», disse Sérgio Vasques, citado pela Lusa, no I Congresso de Direito Fiscal, em Lisboa.

Ainda assim, o secretário de Estado não explicou de que forma se poderá resolver esse «problema».

Sobre as necessidades de financiamento do Estado para cumprir as metas do défice (7,3% este ano e 4,6% em 2011), o governante defendeu que «o esforço da consolidação orçamental não pode passar apenas pelo lado da despesa pública».

Sérgio Vasques diagnosticou ainda um problema de «economia paralela» em Portugal e afirmou que há que fazer «um esforço redobrado» no seu combate em épocas de crise.

Um combate que «tem vindo a ser feito, e não só pelo presente Governo», mas que precisa de ser reforçado com medidas como certificação do software, cruzamento de dados e automatização do procedimento.

«Nos paraísos fiscais, a presente crise também tem trazido uma alteração de atitudes, desde logo no plano internacional, com uma crescente intolerância para com esta concorrência fiscal desleal».

Fonte: Agência Financeira

Comentários

comentarios

2010-11-25T16:01:45+00:00 25/11/2010|Categorias: Portugal|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)