Não havendo margem para acomodar medidas expansionistas, há pelo menos uma área em que o Governo devia ter aberto os cordões à bolsa: a dos incentivos às pequenas e médias empresas com vocação exportadora.

José António Barros, presidente da Associação Empresarial de Portugal (AEP) considera que esta é a grande pecha da proposta de Orçamento: “A internacionalização vai ser o motor de crescimento e só se consegue crescer com apoios, entre os quais fiscais”, diz o gestor. E mesmo que apoiar as empresas implique “violar as regras de Bruxelas, eu digo “violemos!”. Quando Bruxelas vier

[cobrar a factura] já se abriram os canais, já teremos uma rede montada”, à semelhança do que aconteceu em Espanha, que agora se viu confrontada com a ilegalidade de uma medida que por cá chegou a ser muito cobiçada pelos empresários, a amortização do “goodwill”.

Luís Filipe Pereira, administrador da Efacec e outro dos oradores do Fórum “Projecto Cidadania – Pensar a Fiscalidade” acha mesmo que os apoios públicos são uma inevitabilidade. “Tarde ou cedo o Governo terá de estimular a competitividade externa das empresas”, vaticina.

No próximo ano o grande problema continuará a ser o da escassez de financiamento. Satisfeito com as linhas de crédito bonificadas que o Governo tem concedido, José António Barros diz que seria, contudo, necessário estimular-se o “pré-financiamento à exportação com base em encomendas firmes” e resolver o problema da falta de oferta de seguros de crédito no mercado, um produto essencial para as empresas que estão a lançar-se em mercados mais arriscados.
Por fim, seriam ainda necessárias medidas que financiem o investimento em bens de equipamento. O presidente da AEP diz que chegou a propor ao Governo a criação de um incentivo desta natureza, que recuperasse o essencial do antigo regime de dedução de lucros retidos e reinvestidos em bens de equipamento e sectores transaccionáveis, mas não foi ouvido.

Nota positiva para o estímulo ao financiamento das pequenas e médias empresas por parte dos seus sócios.

Fonte: Negócios

Comentários

comentarios

2016-12-01T15:39:12+00:0008/11/2010|Categorias: Portugal|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)