A insolvência é um estado em que o devedor possui mais dívidas do que a quantidade dos seus bens para saldá-las. Uma empresa insolvente poderá ao final de um processo ser declarada “falida”.

Portugal registou 1.730 novos processos de insolvência, entre Julho e Setembro, o que representa um aumento de 37% relativamente ao mesmo período do ano passado. Ou seja, por dia, 19 empresas fecharam portas.

Os processos de insolvência em Portugal não param de crescer, sendo que neste trimestre atingiu o valor mais elevado dos últimos dois anos. Esta é uma das conclusões da empresa especializada “Crédito y Caución”. .

Um em cada três processos de insolvências continua a envolver empresas directamente relacionadas com o sector dos Serviços. O segundo sector mais afectado é o da Construção, seguido do sector Têxtil e da Alimentação.

Na análise da Crédito y Caución regista-se uma recuperação em nove sectores e o aumento das insolvências em oito. O maior aumento foi registado no sector dos Electrodomésticos que duplicou o número de processos de insolvência.

Em contrapartida, os sectores que registam uma melhoria significativa são os das Máquinas e Ferramentas que reduziu para metade o número de insolvências.

De acordo com a análise feita pelos especialistas, as persistentes dificuldades de acesso ao crédito pelas Pequenas e Médias Empresas tem dificultado a sua gestão de tesouraria sendo um dos principais factores que estão na base de muitos processos de insolvência judicial.

A insolvência é um estado em que o devedor possui mais dívidas do que a quantidade de seus bens para saldá-las. Uma empresa insolvente poderá ao final de um processo ser declarada “falida”.

Fonte: Renascença

Comentários

comentarios

2010-10-13T17:22:59+00:0013/10/2010|Categorias: Portugal|0 comentários
error: Segurança, acima de tudo! ;)